Visualizações

31 janeiro 2014

477



Aprendiz
ROGERIO SANTOS

como não sei tocar um instrumento,
invento frases de surfar ondas sonoras.

porque a poesia (essa malandra) é um mandamento,
movimento de busca na essência do equilíbrio.

há quem saiba muito, mas não há quem saiba tudo.
de saber, o sábio mesmo é um aprendiz.

e segue um som de domingo, de poesia escancarada.
dessas que não encarnam palavras nem tinturas.
perfume de pinho que toca o olfato pela audição.

(eu escrevo e as pessoas perguntam como ou porquê)

25 janeiro 2014

10 janeiro 2014

475



Peso de Pedra
ROGERIO SANTOS

De tudo posso variar
Mantenho-me um peso de pedra
A casa de portas abertas
Algaravia de mão dupla

Resguardo alegria nos olhos
Cacife de pó e ventania
na corredeira de uma lágrima
Gira um moinho rio corrente

Na alma do substantivo
Janela elétrica transparente
Sorriso escanda-cauda-loso
Língua de fogos de artifício

Sou feito bem disso e daquilo
Do que carrego e nem admito
Do que apago e nem reconheço
Fragmento de um pronome indefinido


/