Visualizações

06 fevereiro 2006

18



Efervescente
ROGERIO SANTOS

depois passar algum tempo
herméticamente fechado
aguardando paciente
um raro momento de viver
finalmente sou liberto
no prazo de validade
sinto que o ar se propaga
quando é rompida a embalagem
e num mergulho único
espalho-me dentro de ti.

4 comentários:

Aninha Ramiro disse...

Já sou familiar da "Efervescente"...linda sempre!
Grande beijo, Ana

Kashmir disse...

Esse poema é quase "digestivo" rs
Gosto de observar como viajas em estilos, tal qual caminhada sem rumo... apenas sentindo. :-*

solfirmino disse...

Quando se tornar homogêneo, apareça mais.

Celso disse...

excelente poema, Rogério. Cheguei aqui através do telescópio. Gostei bastante do que li.]

Saudações