Visualizações

22 abril 2007

97



Nasce um poema
ROGERIO SANTOS

Um poema nasce
na letra,
na agulha,
na linha,
na fresta

nasce no pê,
nasce no a;
na pá

nasce do tê
de quem erra;
na terra

"em","a","na",
aros e elos,
palavra que emana

nasce da paz,
nasce na luz;
fotossíntese

retrato sutíl
sem arestas
ou estas
em fúrias domadas

fecundar um poema
exige trama de sons;
de eis, de ás,
de ois, de seis;
rir em erres abstratos;
sorveres, absorveres

perceber que a chuva
é - chúúúúú-vaaaaa !
palavra molhada de som
a escorrer pelas frestas do corpo

destilar as trovas
da trovoada,
navegar, rebuscar,
hai-cais

bater uma laje;
poema concreto

:um grande soneto
faz-se na face,
velando-se
o sono de um neto

Um comentário:

Mônica Montone disse...

Ai que bonito!!!!!

Esse prenuncio que já é........

beijocas e boa semana

MM