Visualizações

19 agosto 2006

54



Niterói
ROGERIO SANTOS

Contemplação
Pede equilíbrio
Navegação
Força de vento
No coração

Seguir a linha
Desse horizonte
Na própria mão
Nesse silêncio
Criar seu som

Água escondida
As vezes dói
Por toda lida
Ser negativo
Ser Niterói

Criando pontes
Pelo sentido
Pela aventura
Pelo sorriso
As vezes doí

Lançar olhares
Indecifráveis
Embarcações
Encouraçados
Por quem se foi

A moça impune
Solenemente
Vê pela frente
Um mar de sonhos
Por navegar

Esse horizonte
Tal como espelho
Tal como berço
Não nega amores
Braço-de-mar

Um comentário:

Brisa disse...

Lindo e relaxante!

Abç