Visualizações

05 maio 2008

168



Pescador
ROGERIO SANTOS

para cevar uso vogais
como iscas consoantes
quando pesco
no intenso mar das palavras

o aço é leve
o fitoplâncton é pesado
e tudo é questão de paciência

as vezes nem frases dispersas
as vezes alguns sons guturais
e em dias banais, banais vocábulos

mas em dias de sorte grande
encho meu puçá
com belos e variados poemas

e preparo aquela festa
que minha aldeia banqueteia

Um comentário:

Brenda disse...

Bela imagem e poema Rogério. Gostei do seu blog. Visite também o meu: www.brendamars.wordpress.com e veja o vídeo que fizemos "Anu Era um Livro" com produção do Prôa do Alma de Poeta. Um abraço com saudações poéticas...