Visualizações

06 agosto 2008

183



Bolinho de Chuva
ROGERIO SANTOS
(para Douglas Doug)

hoje não quero chorar
hoje vou por pra correr
pensamento
costuro as colchas
da velha casa
no cheiro da terra molhada
a mesa farta
de riso solto
de bolinho de chuva
e papo bom

hoje só quero saber
de ser
de ter
hoje não quero nem ver
espelho
...espelho
......retalho
.........espelho

espelho meu
de que lado estou ?

braços abertos
seguir viagem
se é noite no oriente

fechados olhos
abertos sonhos
a vida é um prazer latente

canela, açucar
abertos sonhos
quero ser café-com-leite

amor carrego
no paladar
um sabor de creme

invade a tarde
e o dia chega
tão docemente
naquele meu lugar

é sonho, é sonho, é sonho
é sonho, é sonho
é sonho bom....

é sonho, é sonho, é sonho
é sonho, é sonho
é sonho bom....

é sonho, é sonho, é sonho
é sonho, é sonho
é sonho bom....

4 comentários:

Douglas Doug disse...

Rogerio, transcreveste exatamente o momento, foi como se você estivesse por perto, observando e transcrevendo, emocionante!
Obrigado, poeta e amigo!

rogerio santos disse...

DD, já mandei essa letra para o Pituco, e se os Deuses da música assim permitirem, essa parceria dará um abraço no planeta, já que seu (seu) texto que me inspirou, saiu do Japão, veio até aqui e agora está de volta à Tóquio para ser musicado...
Eu poderia até cantarolar uma melodia incompleta que me encaminhou para o formato dessas frases...
Mas não farei isso... Quero ver as ondas sonoras do Pituco colocando essas frases para surfar...

Vai dar samba !!!

Amplexos Poéticos
Rogerio

Flavia Melissa disse...

um aperto na garganta e um pastel sendo frito dentro do meu coração.
vc escreve com a alma, e eu leio com nostalgia...
dupla perigosa, essa...

Carol Barcellos disse...

Uau, esse poema teve até direito a um fading no final...
Vc é muito chique, Rogério!!! Isos é pra quem pode!
Agora, me dá licença, q fiquei com vontade de comer doce. ;o>

Beijocas doces cristalizadas!!! ;o)