Visualizações

06 novembro 2006

68


(arquivo de família - Lagares da Beira - Portugal )
Matuto
ROGERIO SANTOS

quando me chamam poeta,
reluto:
(isso é coisa de gente letrada)

não domino
cancela, balança, escotilha
não determino
gerúndio, pronome, cedilha

em palavras cruzadas
embalo balaio confuso
apenas pressinto
um poema jorrando
e sei bem
que não passo de um puto

5 comentários:

Pituco disse...

poeta matuto! taí,gostei!...permita-me um reparo,talvez distração na digitação...'pres(s)into'...e,'puto' também é 'cerveja',em Moçambique...hehehe!namaste

rogerio santos disse...

Obrigado pelo alerta e pelo companheirismo de sempre !
Puto, em Portugal é o modo como os pais se referem aos filhos também...rs

Essa da cerveja eu desconhecia. O leitor fica com o significado que achar melhor. rs

Namaste

Pituco disse...

signore,a definição lusitana não deixa de ter lá sua lógica ...rs!a pergunta que não quer se calar: a palavra é comum de gênero,certo?...namaste

erick vicente disse...

Se foi por minha causa, que lhe chamo de poeta, não mais o farei. Tá!!!

beijos

Mário disse...

Linda!

Mário.