Visualizações

28 fevereiro 2008

156


Coma
ROGERIO SANTOS

na
alma
um
dano
no
crânio
um
dreno
na
mente
um
plano
um
leve
aceno
moeda
como
poema
fono
fonema
pomo
:
poema
pleno

2 comentários:

cacau disse...

Rô, sabendo o que te inspirou esse poema...é incrível as sacadas que vc tem, poeta! Conseguir extrair de um momento crítico-real que estava diante dos seus olhos um poema irretocável...
Parabénssssss!

Aplaudo de pé.
Beijos.

Carol Barcellos disse...

Ih, agora fiquei curiosa: o que te inspirou a escrever esse poema?
Bem, sem saber o motivo já vou dizendo que já fiquei nesse estado de coma, mesmo acordada. E há uma vitamina de pensamentos, que por vezes fica em movimento, e por vezes, fica estática.

Beijos doces cristalizados!!! :o*