Visualizações

01 outubro 2008

190



Pontual
ROGERIO SANTOS


quase todo tempo quando me evaporo
ardo pelos poros que transpiram parte
parte pelo tempo traço do que adoro
corte em linha reta métrica metade


e quem fez do tempo frágil fragmento
numa linha reta já virou saudade
marcas diminutas anos ou segundos
tudo vira ponto quando cedo ou tarde


quando o mundo gira traz a noite e o dia
traz a alegria, a fome, o sentimento
deixa a linha reta escanchada no vento
a soma de sonhos que chamamos tempo

13 comentários:

vmfinzetto disse...

Que talento! admiro muito você, Rogério! Parabéns

Rose Poulain disse...

Meu amigo, que alma linda!!!!
merece uma foto! beijo

Flavia Melissa disse...

fiquei até tonta.

"e quem fez do tempo frágil fragmento
numa linha reta já virou saudade"

"a soma de sonhos que chamamos tempo"

traduziste-me, poeta prodígio.
beijo no coração.

kyll disse...

muito bom !!!!!!
to ficando "bem acostumado" a ler tantas poesias lindas, que num futuro próximo, será musicada , acredito..na voz do autor , que diga-se de passagem, é muito boaaaa!!
abraço Rogério e continue assim..aproveite a inspiração parisiense . rs;;

Anônimo disse...

eu ouvi a música que tem aqui... pena que seus ouvidos chegaram antes, senão tava na caixa.
Guca Domenico

Flavia Melissa disse...

ahhh rogério.
então saiba que é recíproco, pq entrar aqui é, muitas vezes, minha fonte de inspiração!

beijo no coração :)

JR disse...

ROGÉRIO: Lindo! E, como o Guca disse, assim, distribuída em 'tijolinhos' fica mais fácil e até mais bela. PARABÉNS poeta! Sua cabeça é maravilhosa!

Carol Barcellos disse...

Depois tudo vira apenas mais uma história pra contar...achei lindo quando vc definiu o tempo como "soma de sonhos". E realmente, não importa se eles são realizados ou não, é a soma deles mesmo que constrói o tempo.
E assim vais construindo o seu tempo com palavras perfeitas, Roger, amei o poema!!!

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o)

Flavia Melissa disse...

Ah, mas porque eu tenho que ser sempre aquela que pede atualizações aqui!?

Atualiza logo, Rogério!
beijo grande.

Pituco disse...

signore,
que pontualidade!piramidal...

tens razão...o mundo gira contumaz e não tá nem aí pra nossa dor-de-barriga ou poesia...rs

abraçsonoros
namaste

Anônimo disse...

Rogerio,

não sei o porquê
mas saudade
me lembra curva
mas isso é coisa minha
que evaporo pra virar chuva
quando resgato vida ponto pulso
sentindo sentido no presente

sonhos são as notas
o brilho das gotas de uma partitura
registro dos seus pontos no tempo
geometria, poesia e música

-------------------

Muito bom ler seu Pontual!

Maria Cláudia
http://registrosmariaclaudia.zip.net/

Anônimo disse...

Seus poemas evaporam sentimentos internos e ternos...
Poeta você formidável!
Sou sua fã, faz muito tempo.

rogerio santos disse...

E quem és tú, anônima ?
Obrigado pelas várias leituras e comentários...