Visualizações

08 dezembro 2008

200



Nebulosa
ROGERIO SANTOS

cala a fala teu poema
há anos-luz de luneta
são mil estrelas meninas
gametas na gravidade
mail passeio girândola
bissexto com mais de mil dias
e nessa viagem não me há Fobos
amar-te e a galáxia é pequena
constelado céu-da-boca
vela na sopa de letras
vento lunar teu poema
reverso de viagem plena
nave nos confins da língua
satélite feito fonema

6 comentários:

compulsão diária disse...

sopa de letras sopradas pelo vento lunar até os confins da língua.
muito bom!

" A Bela e a Poeta " disse...

"cala a fala teu poema".. faço suas palavras as minhas. Estava a andar por aí procurando blogs que falassem centralmente de poesia e achei o seu! Não me cansei de ler.. ótimo mesmo. Se puder fazer uma visita em meu recém-inaugurado blog "A bela e a poeta" e deixasse sua opinião, ficaria imensamente feliz e honrada. Um abraço e continue inspirando outros com sua delicadeza...Bela.

Paulo D'Auria disse...

Poeta de outro planeta, parabéns! Belíssimo poema!

Grande abraço!

Luh Oliveira disse...

Olá, queridíssimo amigo!

Tem um presentinho pra você lá em meu blog. Passa lá e pegue-o.

Cheirosssssssssss,

Luh Oliveira

compulsão diária disse...

Voltei pra ver satélites, cometas .
É muito bom o clima aqui. Gosto de passear nas folhas.

livia soares disse...

Muito bom, Rogério.
Fico feliz por reencontrá-lo firme em seu blog.
Um abraço.