Visualizações

14 outubro 2009

237



Conta-gotas
ROGERIO SANTOS

em teus olhos desatentos
fragmentos de paixão

da saudade
quando aporta na boca
quando é seca
quando é poça
quando a maré dita o ciclo
todo mar em conta-gotas

a água mole batendo
inércia que expande e recua
desenho na areia
um resquício
a onda varrendo o início
num vício que erode o que nega

travessura e travessia
quando passa a pedra em grão
num instante tudo é sólido
no restante é solidão


5 comentários:

pituco disse...

signore, lendo teu poema ao som de art farmer num blog de outro amigo virtual...

tudo a ver,ouvir e sentir...

abraçsons saudosos

Rose Toffoli disse...

que coisa linda!!!!!

d'Angelo disse...

Imagens e sonoridades lindas nos seus versos. Por ser e estar folha de cima, você está mais perto da luz. Abraços.

vmfinzetto disse...

..todo mar em conta-gotas! Belíssimo.

Eliana Mora (El) disse...

um belíssimo 'quadro' final
tranças de palavreado
sentimen-tado


beijo,
El