Visualizações

27 setembro 2006

61



Enterprise
( Dedicado ao poeta Carlos Assis em dez/04 )

Letra: Rogerio Santos
Música, violão e voz: Tony "Pituco" Freitas
Ouça aqui

pelos meandros
da fria cidade
no mais seleto
anonimato
feito uma nave
roteiro inexato
segue Assis
na megacidade

segue Carlos
segue assim
segue assado

olha pro céu
não vê as estrelas
usa caneta
para descrevê-las
trabalha de dia
transpira poesia
segue Assis
na sagacidade

segue Carlos
segue assim
segue assado

vende o trabalho
ganha seu sustento
faz sem lamento
poesialimento
precisa do simples
no seu dia-a-dia
a sua verdade
não negocia

cegue Carlos
cegue assim
cegue assado

olha p´ro céu
e não vê a lua
mas não precisa
já é aluado
vê tudo embaçado
e com poesia
por entre os meandros
da monotonia

segue Carlos
cegue assim
cegue assado

vai ver a lua
vai ver as estrelas
vai ver o universos
de cards encantados
ninguém sabe como
a caminho do cosmos
pela janela
de sua enterprise

segue Carlos
segue agora
embarcado

5 comentários:

carlos assis disse...

sabe que eu gostei
estou divulgundo
para a minha lista de amigos
abraços
assis

DoraDBrazil disse...

Lindo! Carlos segue... algo busca, persegue. Quem procura,acha, consegue; antes que essa busca o cegue... Good Luck!

nancy moises disse...

Simplesmente adorei ..Parabens

nancy moises disse...

Adorei... muito legal..parabens...

Nancy Moises disse...

Eiii queria mandar um email pra vc, poderia por favor me dizer qual é?
Um gde abraço...
n.moises@uol.com.br