Visualizações

08 janeiro 2009

205


(foto: Rogerio Santos)

Qualquer Palavra
ROGERIO SANTOS

minha língua em tua língua
minha poesia em tua prosa
com toda a força dos tormentos
que só clamam pela cala

quando te encontrar, minha cara
será numa justa prisão
e não haverá qualquer palavra
que aplaque tal linguagem

nem mesmo as tatuadas
por tua nossa epiderme
pichações em crua carne
onde saudade dá de sal

nenhuma outra frase ou artimanha
precisará ser inventada
e nosso silêncio será pleno
livre das armadilhas da fala

5 comentários:

Adriana disse...

Sua poesia é cheia de imagens,bonito!

d'Angelo disse...

"nenhuma outra frase ou artimanha
precisará ser inventada
e nosso silêncio será pleno
livre das armadilhas da fala": belíssimo desfecho, meu caro Rogério.

pituco disse...

que confronto,signore!

o poeta desfaz-se das palavras,rende-se ao silêncio,pra viver sua poesia...bacana!

curti tb a foto...
as imagens são de deidades hindus...que,obviamente,têm variações aqui pelo oriente...no jp estão correlacionadas à 'benten sama'(deusa da música/única mulher).

abraçsonoros
namaste

Flavia Melissa disse...

qualquer palavra tua me faz mais feliz :)

jr disse...

Lindo, muito lindo, caro poeta! Sou seu fã. Abraços. JR